Copyright 2018 - Custom text here

 “A terra e tudo que nela há são do Senhor; O mundo e todos os seus habitantes lhe pertencem.” Salmos 24:1 

É senso comum até dos próprios Cristãos dizer que o debate de qualquer assunto fora do âmbito religioso não deve envolver religião, é defendido que as discussões devem ser feitas de forma neutra, que a opinião deve ser neutra, mas como ser neutro e crer ao mesmo tempo que “a terra e tudo que nela há são do Senhor”? Como discutir a maneira que devemos lidar com os rios, mares, florestas, animais e etc. sem levar em conta o criador e dono de todas essas coisas? Como discutir a sociedade crendo que “O mundo e todos os seus habitantes lhe pertencem” sem levar em conta seu criador e dono? Sei que o mundo quer tirar Deus de vista, principalmente dentro de debates que envolve a vida comum e por vezes o mundo é hostil para quem ama a Deus, mas não podemos ceder à tentação para o pragmatismo, na busca de resultados abrir mão do que cremos, pois é no abrir mão da nossa fé que padecemos, Renouvier afirma que “o mundo padece de falta de fé em uma verdade transcendente” , é tirando Deus de vista , é negando a metafisica, é negando que precisamos de Deus, que o mundo está padecendo,  e nessa batalha travada nas ideias, mais do que nunca precisamos estar bem firmados na nossa fé, todos estão inseridos nessa realidade e os jovens precisam estar preparados para lidar com ela.   Então toda vez que eu falar “mundo”, irei me referir à hábitos, interesses, língua e vida artística de uma nação: histórias, símbolos, estruturas de poder, estruturas organizacionais, sistemas de controle, rituais e rotinas, acontece que estamos neste mundo e entramos em conflito devido aos nossos valores, atitudes, crenças e costumes, e sempre surge perguntas como:  

  • O cristão pode participar das festas nacionais?  
  • O cristão pode beber?  
  • Como o cristão deve lidar com arte, cinema, etc.? 
  • O cristão pode ser um diretor, ator, etc.? 
  • O cristão pode ouvir música do mundo?  
  • Como o cristão deve lidar com economia, política, filosofia? 
  • O cristão deve impor sua cultura quando sai em missões?  
  • O que pode ser tolerado?  
  • O que deve mudar? 

 A ideia aqui não é responder essas perguntas, não é te dar receitas, te mostrar caminhos , mas é um chamado a maturidade ,  um chamado a liberdade , um chamado a responsabilidade , o nosso dever não é fugir do mundo, não devemos ter medo do mundo, não devemos procurar agradá-lo mesmo que por vezes isso possa acontecer, nosso dever não é adorá-lo, tentar construir um reino nesse mundo, mas estamos em contato com o mundo o tempo todo e um dia nós vivíamos no mesmo curso desse mundo até o momento que fomos vivificados por Cristo e nova criatura fomos feitos, sendo assim o que antes não enxergávamos agora se tornou claro : Cristo é o nosso Senhor. Acontece que devemos levar isso o fato de sermos servos de Cristo até as últimas consequências, e a nossa caminhada Cristã passa a ser levando cativo ao Senhorio de Cristo toda a nossa vida, família, serviço, dons, finanças, tudo, não há nada nesse mundo que não pertença a Ele, não há nada nosso que antes de ser nosso não seja dEle, mesmo nós não levando cativo a Ele, pertence a Ele , e o meio pela qual honramos a Deus , o Glorificamos é procurando se adequar a sua vontade em todos os aspectos. Portanto o chamado a maturidade consiste em reconhecer a nossas origens e a nossa vocação como forma de gratidão, reconhecer que fomos criados, que não fomos os primeiros e que foi por um motivo.

 O que muitos se perguntam quando passam a crer em Cristo é: o que devo fazer agora? 

O que me parece ao ouvir esse tipo de questionamento, é que desejam ouvir : você tem pregar, trabalhar na igreja, no louvor, ministério de dança e se não tem um ministério que você se adeque, crie um, mas Deus não escolheu todo crente para ser pastor, líder, revolucionário, Deus escolheu sim pessoas para serem lideres, mas Deus escolheu amar pessoas simples, ricos, pobres, iletrados, e etc. o corpo de Cristo não é feito apenas de intelectuais, há profissionais de diversas áreas, há donas de casa, há pessoas especiais, há órfãos, há gente do povo, há gente da elite, há diversidade de dons, recursos! Todos eles sendo seguidores de Cristo onde foram chamados, sim , há determinadas situações onde o chamado de Cristo significa romper com sua pratica profissional por ela em si ser contrária a Deus, prostituta não continuará sendo prostituta, ladrão não continuará sendo ladrão, mas porque o padeiro tem que largar a padaria, o pedreiro a obra , o médico o hospital, certeza é que ser de Cristo muda a maneira como vamos lidar com a nossa profissão, mas ser de Cristo não significa deixar de servir a humanidade com meus talentos, pelo contrário, ser de Cristo dá sentido ao que faço. Uma vez um sapateiro fez essa pergunta para Lutero que respondeu: faça o melhor sapato e cobre o preço justo! 

Uma das marcas do cristão é a gratidão, e uma demonstração de gratidão é reconhecer os dons recebidos, reconhecer que recebemos um dom de Deus é utilizá-lo, é aperfeiçoá-lo, é dele produzir beleza, satisfação do outro, é gerar riqueza , sim é gerar riqueza, porque digno é o trabalhador do seu salário, e o lucro adquirido é quantificar o quanto de bem você produziu nesse mundo , mas o cristão atua nesse mundo procurando o bem do próximo,  já  “o hedonista não ama ao Deus que dá a vida , nem reconhece qualquer responsabilidade para com sua vontade revelada; contudo pode pelo menos fantasiar os dons sem reconhecer o Doador.” Michael Horton , o que há de comum no meio evangélico a crença que diferenciamos os cristão dos demais pelo que fazemos,  gostamos, como que se nada produzido na terra por seres humanos não pudessem ser apreciados e cultivados por seres que “deixaram de ser humanos” ao se tornarem cristão, mas o que nos diferencia que é amamos a todos e por todos somos perseguidos.

 “Não se distinguem os cristãos dos demais, nem pela região, nem pela língua, nem pelos costumes. (…) Seguem os costumes locais relativamente ao vestuário, à alimentação e ao restante estilo de viver, apresentando um estado de vida admirável (…). Enquanto cidadãos, de tudo participam, porém tudo suportam como estrangeiros. (…) Se a vida deles decorre na terra, a cidadania, contudo está nos céus. Obedecem as leis estabelecidas, todavia superam-nas pela vida. Amam a todos, e por todos são perseguidos (…) Para simplificar, o que é a alma no corpo são no mundo os cristãos”. (5-6) (Epístola a Diogneto) 

 Exercer nossos dons nunca será uma maneira de fugir do mundo, reconhecemos que não somos desse mundo, porém disponibilizamos nossos dons a esse mundo, pois é no exercício dele que estaremos sendo grato ao Deus que nos criou, é no exercício deles que estaremos resistindo ao maligno e o mal que nos cerca, portanto produza, cuide, ensine, propague ...  

“Não peço que os tire do mundo, mas que os protejas do maligno” João 17:15 

 Os últimos anos têm sido de terrível erosão de nossa habilidade de distinguir o bem do mal; de modo assustador, a competência ética do mundo cristão está franca derrocada, o que dizer então da sociedade em que vivemos, as pessoas não conseguem distinguir o belo do feio, a verdade da mentira, discernir o obvio, distinguir o papel do homem e da mulher na sociedade, pois cada vez mais estão ficando longes de Deus. 

O Rev. Heber Campos Jr, comenta em uma de suas palestras que questiona uma jovem se ela tivesse a chance de salvar uma pedra preciosa ou uma pessoa, sem a possibilidade alguma de salvar as duas, o que ela escolheria, a jovem não soube responder, porque para ela a pessoa e a pedra possuíam o mesmo valor que um ser humano, é numa sociedade onde existem pessoas que não conseguem ver valor no outro que nós estamos inseridos.  

E em meio ao desmoronamento ético generalizado, outro padrão tem surgido, no qual a bandeira da liberdade cristã está sendo hasteada em favor de certas práticas que antes eram descartadas sem pestanejar. Nunca que iriam perguntar se sexo antes do casamento é realmente pecado, em nome dessa liberdade jovens cristãos se embebedam, gastam sem responsabilidade, não se preocupam com a comunidade em que estão inseridos e exercem a liberdade sem amor ao próximo. 

Nós sempre vamos ter que lidar com a falta de moralidade do mundo e com os limites da nossa liberdade, mas há um perigo que considero ainda maior, o culto a juventude! 

É perceptivo que o mundo está sempre à procura da eternidade, e uma marca dessa eternidade procurada está na juventude, no belo, pois o belo disfarça o tempo, nos ilude, nos faz esquecer que o tempo passa, e quanto mais me parecer jovem me faz acreditar que esse mundo é para sempre, podemos constatar no que é propagado, pois o mercado explora a imagem do jovem, na moda, no turismo, nos cosméticos e etc... só que esse culto a juventude traz consigo o menosprezo pelo conhecimento, pelo antigo, pelas tradições,  pela história porque o jovem não é atraído por qualidades intrínsecas, mas por aquilo que está em evidência, aquilo que está na moda e quando uma igreja é tomada pelo pragmatismo, desejando alcançar a juventude geralmente abre mão de suas tradições essenciais para a vida da igreja, e quando é feito esse tipo de movimento o conhecimento certamente será menosprezado, e quando menosprezamos o conhecimento, menosprezamos a verdade, menosprezamos a Deus e aqui  estão os jovens, cheios de força, de vontade, de beleza, de ideias, sendo o centro de igrejas, sendo a voz, e o norte, correndo o risco de levar a igreja ao destino do pior como foi em outras situação na história, os jovens sempre estão na frente da direção do pior : nazismo, fascismo, marxismo, e que tipo de pior podemos encontrar na igreja quando há o culto a juventude? E quando digo aqui o jovem é todo aquele que cultua a juventude. O culto juventude traz o desprezo do conhecimento e ser velho não significa ser sábio, e sim há movimento tomados por jovens que valorizam o conhecimento e mudam um determinado cenário para o bem, mas esses são aqueles que tomado pela realidade, conseguiram ver que a vida é passageira, que devemos ser gratos por aqueles que cuidaram de nós, que devemos cuidar daqueles que gastaram suas forças conosco e agora depende de nós, que a humanidade não começou no momento que o nosso choro invadiu o mundo, jovens que adoram a Deus são gratos e a “Nossa ingratidão é a expressão mais clara de que temos idolatrado a nós mesmos.” M Horton   

Diante dessas problemáticas como os jovens deve se portar dentro da sociedade? 

Os jovens devem procurar a sabedoria, pois essa busca os levará a temer a Deus. 

Princípio da sabedoria é o temor do Senhor! Provérbios 9:10 

Se cultuar a juventude traz desprezo pelo conhecer o temor a Deus nos faz estudar, nos faz procurar e amar a verdade. Acontece que a busca pela sabedoria não tem por objetivo a construção de um projeto, fama, riquezas, e é por vezes contemplativa, busca essa que anda em baixa na nossa sociedade, é verdade que a vida não se resume em contemplar, estudar , meditar e etc. Claro que podemos extrair valores práticos da contemplação, mas não podemos fazer dela um meio pela qual alcançaremos qualquer objetivo que não seja conhecer, porque quando fazemos da busca pela sabedoria o motor pela qual podemos ganhar lucro, estaremos desvirtuando a nossa busca ou seja a nossa busca por Cristo nunca deverá ter outra motivação a não ser encontrar o próprio Cristo, creio que esse seja o motivo que faz da busca por Cristo tão desinteressante ao mesmo tempo que temos cultos de jovens para jovens por jovens tão frequentados e as escolas bíblicas dominicais e as reuniões de oração estão vazias de jovens , mas provavelmente não vazias de significado, conhecimento e Cristo. Muitos líderes são tomados pela ânsia de terem suas igrejas frequentadas por muitos jovens, mas não podemos ceder para o vale tudo, o jovem Cristão deve estar envolvido na busca pela sabedoria, sabedoria essa que os afasta de debates onde o foco é apenas debater e  julgar, é necessário que essa assiduidade toda que os leva ao debate seja refreado, pois é irresponsável julgar sem saber, podendo assim levar outros ao engano, e a busca pela sabedoria os leva a ter responsabilidade, saber primeiro para julgar depois é o dever número um do homem responsável e o objetivo do jovem deve ser aprender ser um bom homem, uma boa mulher, e levar os jovens a busca pela sabedoria não nos leva a ter nossas igrejas cheias de jovens , sim Deus pode fazer isso, Deus pode levantar jovens que se tornam adultos antes do tempo verdadeiros,  guerreiros e guerreias de Deus , porém o extraordinário só o é por ser fora do comum, o comum é que jovens passem pela escola da maturidade, onde as vocações serão reconhecidas e para isso os anciões precisam estar por perto refreando as paixões irracionais da juventude, os levando a humildade , que no fundo é apenas o senso do real e isso deve acontecer na vida em comunidade , onde a realidade se dá no cuidado amoroso, paciente, atencioso para com as coisas que realmente importam, onde a família é valorizada, onde as disciplinas Cristãs (ceia, batismo, culto) são praticadas em excelência, onde não podemos simplesmente saltar para o nosso capítulo predileto ou pesquisar no Google o que é o nosso interesse momentâneo. 

É nessa busca pela sabedoria que Deus estará operando uma grande obra no coração dos futuros homens e mulheres que o mundo terá que lidar.  

John Fernandes