Copyright 2018 - Custom text here

Gravidez antes da hora. Escândalo ou fruto?

Eu não sei o que mais me assusta hoje em dia: o fato que temos que lidar com essa situação na igreja ou que isso nem me pega mais de surpresa. Acho que, se há uns 10 anos atrás uma moça aparecesse grávida na igreja, eu ia levar um susto, mas hoje, sabendo do que está rolando no namoro (algo aprovado e abençoado pela maioria das igrejas) seria meio falso de fingir estar surpreso. Se eles namorando e beijando não estão errados, então o fruto disso não deve ser também. Mas hoje vivemos numa época sem igual em relação de ser hipócrita e falso na igreja. Recentemente eu fui obrigado a ser testemunho de uma situação dessa.

 

Durante uma das minhas viagens tive a oportunidade de ir a um casamento. Claro que eu não conhecia o casal, mas o fato que ia ter um buffet era razão suficiente. Então fui e, chegando lá, sentei e comecei a conversar com uns amigos meus (sim, eu tenho amigos) sobre a situação dos jovens na igreja e o êxodo de uma geração quando entramos no assunto de sexo fora do casamento, muito porque a moça casando já estava grávida. Ela e seu noivo fazem parte de uma igreja; uma igreja que abençoa namoro. O que fica esquisito é a nuvem preta que desce numa dessas situações. Todo mundo fica sem jeito e sem saber o que falar. Que tal, “Puxa cara, eu estou transando com minha namorada também. Acho que eu devo acordar logo né?” Na verdade, era um casamento lindo. Eu só fiquei triste ao pensar neles. Obviamente eles se amavam, mas com certeza esta não era a maneira que eles tinham sonhado em casar.

Um cara na mesa me fez uma pergunta: “jeff, se você fosse o pastor desse casal, você faria o casamento deles?”, sabendo da linha de santidade que eu prego. E sem pensar, eu respondi, “sim”. Se eles eram do meu rebanho, sem dúvida eu faria. Não tenho como amar um filho quando ele está agindo tudo certinho e colocar ele numa agência de adoção quando pisa na bola. E isto puxou um outro assunto, pois o pastor que estava celebrando a cerimônia não era o pastor deles. Aparentemente, o pastor deles recusou em fazer o casamento porque ela estava grávida. Eu não vou julgar esse homem porque eu não o conheço, e sei que existem muitos pastores, mesmos aqui no Brasil, que não celebram casamentos quando alguém já está grávida porque não querem sujar as suas mãos.

O fato real e ridículo é que a maioria dessas moças vem de igrejas onde “namoro santo” é promovido e até encorajado. Mas, de repente, quando a colheita vem um pouco antes do que a hora desejada, a gente endoida.

Meu amigo, se todo casal da igreja que já rolou na cama antes de casar a menina aparecesse grávida, o cristianismo seria a religião que mais cresceria no mundo. Nós sabemos disso e chegou a hora de parar de fingir nossa cegueira. Coisas sempre rolam no namoro. E não adianta discutir. É fato. Os pecados que rolam no namoro não é segredo pra ninguém. Mas o que eu acho mais errado ainda do que os próprios pecados, é que nós tratamos gravidez como se fosse um escândalo. Eu não estou dizendo que sexo fora do casamento é certo. Não é. É pecado e ponto final. E eu não estou aprovando a gravidez fora do casamento, mas se nós vamos deixar os nossos filhos brincar com fósforos, não devemos ficar surpresos ou irritados com eles se um dia nós irmos casa e nos depararmos com o fato de que ela não existe mais, porque tudo pegou fogo. O mais triste em tudo isso é ver que os pais que deixam seus filhos brincarem com fogo não querem associar-se com eles depois da casa pegar fogo.

E isto é o que está acontecendo com esses líderes hipócritas que passaram mão nas suas esposas (atuais pastoras hoje), e muitos até transaram com elas, só que eles tiveram a sorte de não engravidá-la antes de casar. Só que agora vem uma grávida e temos a maior vontade de gritar, “Crucifique! Crucifique!” Que hipocrisia! Gravidez é o fruto de algo que nós temos abençoado e liberado, e assim não pode ser rotulado como escândalo.

O pior de tudo é esse pensamento de não querer “sujar suas mãos”. Deixa eu perguntar: quantos casais estão transando antes de se casarem na igreja? Existe alguma diferença, além do fato de que um está carregando a evidência pra tudo mundo ver? Para Deus, não. E quantos desses casais, que talvez não estão transando, estão fazendo o suficiente para deixar qualquer um com o rosto um pouco mais vermelho, sem que seu pai ficasse sabendo do que realmente está rolando? É Isto nós chamamos de “namoro santo” e algo abençoado por Deus? Será que isto não ia sujar as mãos daquele que estão preocupado em manter sua aparência falsa? E quantos desses rapazes estão com problema de masturbação? Não venha me falar de mãos limpas.

Está me entendendo? Para Deus não há nenhuma diferença entre uma moça casar grávida com uma barriga inchada, do que um cara que casa com calo e uma mão inchada. Os dois são culpados de pecado e podem ser perdoados. Somos nós que fazemos a distinção entre o que é pior ou até aceitável (normal). E, com certeza, existem muitos casais lá dentro da própria igreja que estão fazendo bem mais, só que a colheita ainda não chegou, e esse fato não é um sinal de pureza ou benção de Deus. Tudo tem a sua hora e, pode crer, a colheita vem.

Se nós vamos continuar abençoando namoro dentro das nossas igrejas, nós também temos que nos preparar para o fruto dele que vem. Talvez não é sempre uma gravidez, tem muitas outras conseqüências ruins que vem, mas quando a moça aparece com mais do que deve na área da cintura, nós temos que estar prontos de recebê-la, amá-la e ajudá-la. Julgar ou condenar é exatamente o que os fariseus fizeram e Jesus falou para eles que o primeiro que estava sem pecado deveria atirar a primeira pedra. Seria bom se nós lembrássemos disso. Antes de atirar uma pedra, lembre de quando você era jovem ou estava namorando, e de como teria sido difícil atirar uma pedra enquanto o traseiro da sua atual esposa estava na sua mão.

Gravidez fora do casamento não é o que Deus quer ou sonhou para essa geração, mas é simplesmente um resultado de um pecado considerado comum e liberado pelas lideranças de algo chamado igreja, o corpo de Cristo. Jovens, vocês não estão obrigados a curtir os pecados dos seus pais ou pastores (e, pode crer, eles pecaram nessa área também). Você pode decidir de andar em santidade enquanto eles estão liberando pecado. A decisão é sua e o fruto também. Mas, se você decide seguir os passos de uma geração cheia de pecado, não leve susto na hora em que a colheita vem e ele te abandonar ou te condenar. Infelizmente é assim mesmo. O fruto vira escândalo se vem na hora “errada”.

Mas, lembre se: independente de qual é sua, seja coisas “normais” no namoro, masturbação ou uma gravidez antes da hora, você sempre pode achar misericórdia e perdão em Jesus Cristo. Ele é sempre fiel, e Ele te ama.

E agora?

Então, você já está grávida ou sua namorada está; o que fazer? Primeiramente, eu sei que você se acha num lugar que não planejava, mas isso não tira Deus do jogo. Ele sabe exatamente onde você está e até o que você fez e ainda assim, Ele te ama. O amor Dele não pára quando sua perfeição pára. Mas, ainda assim, você tem que consertar a parada com Ele; pedir perdão. O que você fez foi pecado; eu sei e você já sabe disso. E não, eu não estou atirando pedras. Sou um pecador que vive numa casa de vidros, então evito de jogar pedras nas casas dos outros. Nisso, quero te falar que o ato foi pecado, mas o fruto não é. Seu bebê é amado pelo Senhor e é uma benção. Isso a bíblia declara. Agora, você tem várias opções, sendo que a benção veio fora da hora esperava.

1. Casar – Dependendo da sua idade e lugar na vida; emprego, lugar onde morar (se fora da casa dos seus pais ou não), etc. Depende também saber se essa é a vontade de Deus para sua vida. Nem sempre é pra ter casamento quando alguém sai grávida. Existem muitos casos de “paixão” que acabaram em gravidez que se tornou em um casamento infernal. O melhor é continuar sozinho com um filho do que estar casado com a pessoa errada e complicar o que já é uma situação complicada. Casamento em si não resolve nada, além de esconder o pecado de alguns e tentar cobrir ele.

2. Continuar na sua vida sozinha na casa de seus pais criando seu filho e esperando a pessoa certa para casar contigo. Conheço vários exemplos disso. Ele vem.

3. Deixar alguém da sua família criar seu filho como se fosse dela. Você sempre estará por perto para ajudar, mas talvez você não esteja preparada de ser mãe.

4. Colocar seu filho para ser adotado. Existem muitos casais esperando um bebê para poder adotar por vários razões, seja problema em se engravidar ou querendo dar a uma criança uma chance na vida que talvez não teria.

E essas são suas escolhas para serem feitas orando e buscando a face de Deus com aqueles que te amam e estão te apoiando. Sua vida não acabou. Mas com certeza virou numa direção que não estava planejada. Não desista. E se você percebeu que eu nem falei em aborto, você está certo, porque aborto nunca é uma opção. Aborto é assassino, ponto final. Matar alguém inocente não vai ser o fim do seu problema, mas o começo de maiores. Se precisar de mais ajuda ou conselho, entre em contato conosco.

Jeff