Copyright 2018 - Custom text here

Chegou a hora de advertir todos os que rejeitam a Cristo o suficiente pra zombarem do Seu nome ou pra ter como brincadeira a vida de cristão: o seu tempo se esgotou. Deus vai acabar com todos os que estão pisando no sangue do Seu Filho. Ele vai destruí-los com julgamentos terríveis! Estamos nos últimos anos de batalha. As horas estão passando mais rápidos do que nunca, e este é o momento onde Deus quer contar com um exército forte e corajoso. Você está entre eles?

Antes de você responder “sim” a esta pergunta, deixe-me te falar algo antes: tem muita gente que acha que só por estarem “fardados” como soldados nos finais de semana fazem parte desta tropa. Meu amigo, não se engane. Soldado não é aquele que se veste como tal, mas sim quem realmente sabe manejar uma espada e não tem medo de entrar na batalha, mesmo que seja na linha de frente, se arriscando mais que outros!

Quem já assistiu o filme “300 de Esparta”? Que exército louco! Que galera corajosa! Os caras não ligavam pras suas próprias vidas; ser morto numa batalha lutando por sua pátria era a maior honra que um soldado inimigo poderia dar a eles. Os caras riam da morte, literalmente! Teve uma cena onde um espartano viu que ia morrer, e começou a rir, dizendo: “Eu passei minha vida inteira lutando e são incontáveis as pessoas que matei. Talvez hoje um daqueles soldados vá me dar a honra de morrer lutando pelo meu país”. Ah bixo, mas que cara louco! Eu fiquei olhando pras cenas que se passavam e dizia: “Deus, eu quero ter essa coragem! Quero ser um dos soldados que o Senhor está treinando e levantando pra fazerem parte desta tropa de elite.” Nesta hora meu coração começou a arder, assim como sei que muitos dos que estão lendo isso também estão sentindo.

Juízes 7:7-8 Aí o SENHOR disse a Gideão: - Com estes TREZENTOS HOMENS que lamberam a água, eu libertarei vocês e lhes darei a vitória sobre os midianitas. Diga aos outros que voltem para casa. Então Gideão mandou todos os outros israelitas para casa, menos aqueles trezentos. Mas estes ficaram com toda a comida e todas as cornetas. O acampamento dos midianitas estava abaixo deles, no vale.

Gideão tinha uma lista com 32 mil homens que se dispuseram a lutar e libertar o povo Israel das mãos de seus inimigos. Imagine a galera! Um dia fui num estádio ontem tinha 4 mil pessoas e achei que ia ser esmagado por tanta gente, imagine 32 mil!!!! Era uma galera boa e que daria medo em qualquer exército, não acha? Mas Deus não queria usar todo mundo. Ele sabia que muitos ali estavam só pela empolgação do momento; que muitos tinham ido pela onda do emocionalismo; que muitos eram só “fogo de palha”; que muitos só se alistaram porque estavam vendo outro se alistando também. Deus viu tudo isso, e teve que filtrar. Nisso, sobrou menos de 10% dos que estavam lá. Só os que realmente estavam preparados puderam participar do time dos 300.

VAMOS VER ALGUNS PONTOS DE ESPARTA QUE PODEMOS

COMPARAR COM O EXÉRCITO DO SENHOR DE HOJE:

1. TODAS AS CRIANÇAS QUE NASCIAM EM ESPARTA ERAM EXAMINADAS, E CASO NASCESSE DEFICIENTES, ERAM JOGADAS NUM ABISMO, POIS NÃO SERVIRIA PARA O EXÉRCITO

Tem uma cena no filme que mostra, em cima de um precipício, um bebê nas mãos de um “supervisor” de crianças nascidas em Esparta. Ele olha bem a criança, dos pés a cabeça, pra ver se encontra algum defeito. Pra sorte daquela criança, fisicamente ela era perfeita. Logo depois a câmera mostra o que tinha embaixo do precipício: várias caveiras de recém-nascidos que tinha alguma deficiência em seu corpo e que foram jogadas lá embaixo por não servirem para fazer parte da nação espartana. Será que com os 300 do Exército de Cristo é diferente?

João 6:37 - “Aqueles que o pai me der em minhas mãos, jamais lançarei fora”

Pra fazerem parte do Seu exército, o Senhor não faz acepção de pessoas. Ele escolhe homens e mulheres, brancos ou negros, magro ou gordo, baixo ou alto. A única condição é que ele seja uma nova criatura, de fato.

II Coríntios 5:17 - "E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas velhas já passaram e eis que tudo se fez novo."

“Coisas velhas”, “se fez novo” – Essas duas frases indica uma MUDANÇA DE VIDA. Quantos cristãos hoje falam que são “novas criaturas”, mas tem os mesmos hábitos de quando eram do mundo!? Conhece pessoas assim? Vivem como se não existisse um Deus que estivesse olhando tudo, pessoas que ficam, se masturbam, mentem, roubam, desobedecem, são insubmissos, enfim, a “nova vida” deles, na prática, não vale nada. São somente palavras ditas ao vento quando se vêem as suas atitudes. Com certeza pessoas assim não fazem parte dos 300.

2. ANTES DE ENTRAR NA BATALHA PRA VALER, TODOS OS ESPARTANOS PASSAVAM POR UM RIGOROSO TREINAMENTO

Muitos de nós queremos saborear a glória de vencer uma batalha sem antes pegar as estratégias que serão usadas na guerra com o General (Jesus Cristo) e sem saber usar a espada (Bíblia). Quantos estão com suas Bíblias guardadas numa gaveta ou em cima de um armário pegando poeira que dá até pra escrever CONDENADO na capa?! Os 300 não vão ser pessoas sem treinamento e disciplinadas, mas eles entendem que nada podem fazer sem a presença do General.

3. A MAIOR GLÓRIA DE UM ESPARTANO É LUTAR ATÉ A MORTE

Apocalipse 12:11b - Mesmo em face da morte, não amaram suas próprias vidas

Apocalipse 2:10 - Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida"

Quando se pergunta para cristãos “quantos aqui morreriam pela causa de Cristo?”, pelo menos 90% da galera levantariam as mãos. Mas a minha grande pergunta é: se muitos ali não conseguem morrer nem para seus pecados, como vão morrer por Jesus? Se as meninas de hoje não conseguem dizer NÃO pros garotos bonitões enviados por satanás pra fazê-las pecarem, será se vão dizer “NÃO, EU NÃO NEGO O SENHOR” quando estiverem pra ser queimadas numa fogueira? Será se os caras que não conseguem dizer NÃO para sua mão quando o “júnior” está querendo “trabalhar”, vão conseguir dizer “NÃO, EU NÃO NEGO O SENHOR” quando se está pra ser decapitado? DUVIDO!!!

Vamos morrer primeiro pras nossas vontades, pra nosso querer, pra nossos desejos, pra nossa carne, pra depois podermos dizer categoricamente: “EU MORRO PELO NOME DE JESUS!”.

Enéas Santos.