Copyright 2017 - Custom text here

“Como o homem rouba a Deus?” vai a pergunta.

“Não pagando seu dízimo” vem a resposta.

Será que existe algo mais bem explicado na igreja? Desde que entramos pela porta pela primeira vez, ouvimos falar de dízimo, mesmo que ainda não entendamos o que é. Mas não demora muito tempo até sermos instruídos nas práticas da nossa religião e, incluso nisso, o ensino sobre o dízimo é ensinado com aquela famosa pergunta, “Como o homem rouba a Deus?” E se você já fez a classe da Nova Criatura, também sabe a resposta. E já sabendo a resposta, sabemos também que isso é algo que devemos levar sério, pois roubar de um homem é uma coisa, roubar de Deus é algo totalmente diferente. Não pagar o seu dízimo é o pior “pecado” que existe na igreja atualmente. Ninguém me disse isso diretamente, mas deduzi depois 39 anos na igreja vendo qual é o “pecado” mais abordado, tipo, todo Domingo, enquanto os outros pecados quase nunca são mencionados. Então, 1+1=2; fala, fala, fala, deve ser importante. Sei que as coisas que minha mãe repetiu para mim vez após vez após vez eram as coisas mais importantes para ela, às coisas que ela queria que eu nunca esquecesse.

Pra falar a verdade, tenho pago o dízimo durante a maior parte da minha vida. E ensinado sobre ele na igreja. Certa vez, eu até cheguei a ponto de começar gritar num culto, “Ladrão! Ladrão!” só pra ter mais efeito. E quando todo mundo estava olhando ao seu redor procurando ele, joguei a bomba, “Vocês que não pagam seu dízimo e ofertas são ladrões” e li o versículo em Malaquias. Caraca, que fera. Eu tinha muito orgulho da minha criatividade naquela época.

Me lembro bem daqueles irmãos “abençoados”, sabe, aqueles que acabaram de receber uma grana louca ou um carro zerado de uma forma milagrosa e sempre iam a frente dar um testemunho, e todos sempre tinha uma coisa em comum, dízimo. Nunca ouvi ninguém lá na frente dando um testemunho de prosperidade que não se dizia um dizimista fiel, e esse “detalhe” contava muito. Não era algo tão subliminar, mas com certeza escrito nas entre linhas, “Se você quer ser ‘próspero’ e ‘abençoado’ pague seu dízimo”.

Uns dos meus testemunhos preferidos eram daqueles que eram “muito abençoados”. Não demorava muito para saber seu segredo, que geralmente tinha a ver com dar mais dinheiro do que Deus havia “pedido”, um jogo de ver quem podia dar mais, o homem ou Deus, e tinha uns que até falavam assim. Mas não era isso que eu achava interessante. Era a declaração que eles dizimavam 20% ou 25%. Para o leigo ou novato isso parece ser algo quase sobrenatural, do tipo que todo mundo que ouviu respira fundo ao mesmo tempo e você ouve aquele “Oooohhhh” coletivo. Como se fosse todo mundo estivesse entendendo o por quê deles serem tão prósperos. Eu entendia o que eles queriam dizer, mas, sempre quis saber, “como alguém pode dar um dízimo de 20%???” Dízimo quer dizer um DÉCIMO. Só pode ser 10%. Se for qualquer outra coisa, não é DÍZIMO, pode ser OFERTA, mas não dízimo. Posso soletrar “B-U-R-R-O”? De qualquer jeito, eles davam muito e não estavam contentes em dar sem deixar a galera saber o quanto estavam dando.

Na boa, parece que a parada de dízimo é um bom negócio mesmo. Dar 10% a Deus, ficar com 90% e Deus ainda vai te dar mais do que você deu a Ele. Um bom negócio mesmo, pois tinha também aquela parte, depois do “ser ladrão”, que fala de provar Deus nisso e ver se Ele não abre as janelas do céu e derrama sobre você bênçãos sem medida. Você teria que ser burro para não entrar nessa.

Sem dúvida, as histórias de benção e Deus providenciar coisas já eram suficientes para eu me vender no negócio. Mas o que me marcava mais ainda eram os testemunhos daqueles que tudo deu errado e eles sempre eram as pessoas que não deram dízimo. Sem grande choque aqui, mas, mais do querer ser abençoado, eu tinha um pavor de ser amaldiçoado, principalmente por Deus. Lembro-me de uma vez ouvir um pastor comentar sobre uma irmã que teve três acidentes de carro numa semana e depois ele descobriu que ela não estava pagando seu dízimo. Caraca. Isso já era o bastante para eu nem atrasar o pagamento. E assim foi a maior parte da minha vida na igreja.

Eu realmente era feliz no meu ritmo de cristianismo: cultos, células, discipulado e dízimo. Não sei o que aconteceu, mas, uns anos atrás eu me vi me tornando um daqueles velhos que questiona tudo e não acredita em nada. Não sou tão ao extremo, mas com certeza sou bem mais cético. Eu acho difícil engolir a maioria das coisas que saem dos púlpitos esses dias. Quero saber onde está escrito na Bíblia e se não está lá, não quero saber. “Sola Scriptura”. Hoje os caras sabem pregar como nunca, mas percebi uma grande falta de versículos nas suas pregações e quando citam um, geralmente é somente a metade ou algo que deixa a maioria que está escutando coçando as suas cabeças querendo saber o que tinha a ver. Sei que você sabe do que estou falando. Ou talvez você acabou de sair de um coma (parabéns) ou talvez é novo nesse planeta (seja bem-vindo), mas os que estão prestando atenção quero convidar para fazer algo louco, vamos tocar no bezerro de ouro, dízimo, e perguntar, “É BÍBLICO???”

Dízimo é ensinado na igreja moderna como se fosse algo do mesmo nível que a redenção dos homens. Algo que parece ser tão importante quanto o entendimento de ser uma nova criatura. Então vamos olhar na Bíblia para achar e ler todos os versículos que ensinam dízimo no Novo Testamento. Opa; esqueci, não tem nenhum. Sim, é verdade, não existe nenhum versículo no Novo Testamento que ensina sobre dízimo. Sei como você está se sentindo. Parece com aquele dia que seus pais te pediram para sentar na sala de estar, pois tinham algo importante pra te falar.

“Papai Noel não existe”.

Vou te dar um minuto para enxugar as lágrimas dos olhos. Sei que foi algo difícil de se ouvir e que ainda dói só de lembrar.

Dízimo é algo achado quase exclusivamente no Velho Testamento. Ele só é mencionado quatro vezes no Novo Testamento (Mt 23.23, Lc 11.42, Lc 18.9-14, Hb 7.7-15) e não é ensinado nenhuma vez.

Não tem outros lugares? Não, me perdoe, mas não tem. Papai Noel não vai visitar sua casa esse ano. Dízimo não é mencionado em nenhum outro lugar no Novo Testamento. Alguém além de mim acha isso meio estranho, devido ao fato de que tinha muitas novas igrejas foram implantadas naquela época e muitas dos gentios não sabiam nada sobre a regra do dízimo e com certeza teriam que ser ensinados na prática? Alguém acha estranho que o Novo Testamento não ensinar dízimo como foi ensinado no Velho, com todos os detalhes do que era ou não para fazer? E por alguma razão que ainda estou para ouvir explicada, Paulo não fala nada sobre o assunto, assim como Pedro. Você acha que com todas as epístolas escritas alguém teria falado algo sobre dízimo se fosse algo certo e tão importante. Mas não. O fato de dízimo não ser mencionado em relação a qualquer crente, igreja ou prática no Novo Testamento, deve nos levar a questionar e duvidar se tem a ver com a igreja hoje.

A verdade é que o Novo Testamento não ensina nada em relação do dízimo. Não existe nenhuma palavra no Novo Testamento mandando nem sugerindo que debaixo da Nova Aliança crentes devam dizimar. Quem está sendo roubado? Com certeza não é Deus. “Ho-ho-ho”.

Está na hora de uma nova reforma. Sola Scriptura!

Jeff Fromholz