Copyright 2019 - Custom text here

Hoje é o dia do frouxo, o dia do homem efeminado e a mulher macha. Hoje é o dia em que mulheres lideram países e igrejas e homens se sentam com as suas pernas cruzadas com um olhar de burrinho, confuso, mas, ao mesmo tempo, incomodado. Hoje é o dia em que nós determinamos o que será da nossa história. Vamos ser mais uma geração que canta sobre sendo um “escrevedor de história”, enquanto a história que mais chegamos perto é a de um canal na televisão?Meus amigos, chegou a hora da gente parar de imitar o mundo, de buscar o que o mundo busca, de aguentar esses charlatões, esses Jezabels de gravatas nos nossos púlpitos. Eu oro pela hora em que Deus vai tirar Saul do trono e colocar Davi. E é isso que temos visto, uma geração de líderes mais preocupados no show de domingo e de como agradar sua audiência do que o próprio Deus. É nojento como eles vendem a mentira do dízimo com a promessa de benções e ameaçam a maldição para aqueles que não pagam. É algo lamentável que tantas pessoas são presas nessas mentiras prometendo o mundo e esquecendo de falar do céu.

Vivemos num tempo de mentiras e farsas nos lugares que se denominam igrejas. Todo mundo se diz santo, enquanto a maioria que tem entregado as suas vidas a Jesus continua em seus pecados. E as nossas igrejas falam sobre Deus e seu reino, mas trabalham em prol dos seus próprios interesses. O negócio tá feio. Mas vamos perguntar, quais são as prioridades desse gigante desviado?

Quais são as prioridades da igreja atual? NÚMEROS, TAMANHO DE TEMPLOS, VISÕES, MÉTODOS, RECONHECIMENTO HUMANO

Será que Deus está impressionado com prédios grandes, chiques e climatizados, enquanto temos pessoas passando fome na mesma igreja e missionários abandonados no campo? Será que Deus está impressionado com as nossas metas, os nossos números mentirosos que fazem nada mais do que engrandecer o nome de um homem que não é Jesus? E desde quando a igreja trabalhou com metas? Jesus trabalhou com metas? A igreja tem se tornado uma empresa e os filhos de Deus funcionários, e assim você é valorizado por causa do que faz e não por quem você é. Isto não é o coração de Deus!

Quais são as prioridades do povo de Deus? PROSPERIDADE, SUCESSO, DINHEIRO, EDUCAÇÃO, CONFORTO

Foi por estas coisas que Jesus morreu na cruz?

Será que ninguém está vendo? Será que ninguém está percebendo? Onde estão os profetas no Brasil? Onde está a voz profética? E eu não estou falando dos falsos que profetizam que Jesus vai voltar, mas não volta. Ou que prometem reavivamento enquanto você continua comprando os CDs deles ou pagando caro para ir em uma das suas escolas. Eu estou falando daqueles que amam a Jesus e tem seus corações quebrantados em ver como a sua noiva está sendo explorada. Será que ninguém está percebendo que faz um tempo desde que Deus escreveu Icabod acima da porta do seu templo? Estamos tão embriagados com tantas mentiras e estímulos emocionais que nem percebemos mais!

Eu me lembro quando eu era criança e eu fiz uma brincadeira com minha mãe. Eu fiz minha cama parecer como se alguém estivesse dormindo lá, mas eu estava mesmo escondido embaixo da cama. E ela sempre fingia estar surpresa quando ia lá para me beijar e desejar boa noite e eu não estava. Mas, o que era engraçado como criança com a minha mãe não é quando falamos de Deus e Sua igreja. Nós fazemos muitas coisas para que pareça que a presença Dele está ali, mas Ele não está. Será que ninguém percebe isso por meio da fumaça e luzes do palco?

Maria Madalena era uma mulher que, quando conheceu Jesus, estava com sete demônios. Jesus mudou sua vida completamente e assim ela o amava. Ela estava lá vendo a cena horrível e chorando quando Jesus foi crucificado, e uns dias depois que ele foi sepultado, ela foi ao seu túmulo. Mas quando chegou lá, tomou um susto, pois o túmulo estava vazio, e assim Maria chorou de desespero. Jesus não estava onde ela achava que devia estar. Ela O amava e sua ausência a perturbou.

João 20.11-13; “Mulher, por que você está chorando?”. Ela respondeu: “Levaram meu Senhor, e eu não sei onde o colocaram.”

Se Maria visitasse muitas das nossas igrejas ou ficasse curtindo as nossas vidas, será que ela não ia perguntar a mesma coisa, “Onde puseram Ele? Onde vocês colocaram Jesus?” E este é o grito do meu coração. Isto é o que perturba a minha alma. “Levaram meu Senhor e eu não sei onde o colocaram. O que vocês fizeram com meu Jesus? Onde O colocaram?”

A razão do mundo não se converter é por ver tão pouco de Jesus em nós. Ele está ausente em nossas igrejas, nossos cultos, nossos cânticos, nossas vidas e nós temos que achá-Lo. Não dá mais para fingir que Ele está embaixo do cobertor. Ele não está! Ele se retirou por causa do pecado que prevalece num lugar ironicamente nomeado como Dele. Nós temos que parar de fingir sermos algo que não somos. Somos doentes fingindo estar bem porque todo mundo está fingindo. Eu não sei sobre vocês, mas eu estou cansado de fingir. Muitas vezes eu me sinto como aquele publicano que nem tinha a coragem de levantar sua cabeça, mas bateu no seu peito e gritou “Deus ter misericórdia de mim, um pecador!” Cara, eu quero ver reavivamento acontecer aqui no Brasil, mas será? Será que temos garra suficiente de se levantar e lutar?

O chamado de todo crente é “lutar em defesa da fé”. Sei que lutar não é a palavra da hora nesse tempo da igreja efeminada, mas é a palavra da Bíblia. Sempre falo com os rapazes aqui, “Nós temos que despertar o guerreiro que está em nós. Nossas vidas dependem disso”. No filme Coração Valente, tem uma cena fera quando William Wallace entra montado num cavalo e com a sua espada levantada e começa o seu famoso discurso: “Filhos da Escócia, eu sou William Wallace”.

Soldado: William Wallace tem mais do que dois metros.

Wallace: Sim, eu ouvi isso. Mata homens pelas centenas. E se estivesse aqui, derrotaria os ingleses com bolas de fogo dos seus olhos e com relâmpagos do seu traseiro!

Wallace: EU SOU William Wallace! E diante de mim eu vejo um exército inteiro de homens do meu país, aqui, desafiando a tirania. Vocês vieram para lutar como homens livres, e homens livres vocês são. O que farão com essa liberdade? Lutarão?

Soldado: Contra isso [apontando para o exército inimigo]? Não, fugiremos, e viveremos.

Wallace: Lutem e vocês poderão morrer, corram e vocês viverão... ao menos um pouco. E vão morrer nas suas camas, daqui a muitos anos, querendo trocar todos os seus dias, deste dia em diante, por uma chance, apenas uma chance, de voltar aqui e dizer aos nossos inimigos que eles podem tirar as nossas vidas, mas eles nunca tomarão... A NOSSA LIBERDADE!

Eu tenho decidido, independente do que aconteça, nem que seja uma morte cedo na minha vida, de lutar. Eu não quero ser um velho vivo, arrependido por não ter feito o que eu podia ou que devia na minha vida. Eu não quero continuar fingindo que o movimento evangélico no Brasil é legal, pois não é! Eu vou brigar pelo nome e honra do meu Rei.

Nós temos que parar de ser crentes frouxos; covardes se escondendo atrás de uma falsa espiritualidade que finge estar além de brigando ou atacando. Não é nada espiritual deixar o inimigo roubar a casa de Deus no nome da paz. É uma grande falta de responsabilidade. Todos nós temos uma responsabilidade de “defender a fé”, como está escrito em Judas. E a casa de Deus está debaixo de um ataque hoje em dia. Mas, não é por fora. É por dentro. As escrituras nos avisam que terá homens que iam entrar e sutilmente introduzir as suas heresias. Isso já está acontecendo e muitos de nós já sabemos disso. Muitos de nós, em nossos grupinhos, estamos reclamando há um bom tempo, mas nada temos feito. Clubes de revolucionários de sofá não vão efetuar nada.

Então, eu te pergunto, “Vamos assistir quantos mais morrer sem gritar, sem tocar a trombeta?” Chegou a hora dos homens de Deus se manifestarem e levantarem uma voz profética contra a prostituta Jezabel quem tem entrado na casa de Deus e está ocupando o púlpito. Chegou a hora dos homens de verdade confrontarem as heresias, o outro evangelho, que está sendo propagado e vendido todo domingo às ovelhas cegas e ignorantes. Chegou a hora de agir ou se calar. Se agirmos talvez veremos uma mudança, mas isso seria o mínimo. O mais importante é que estamos defendendo a Pessoa e a Verdade de Deus. Se não falamos, pode crer, o sangue de muitos vai clamar contra nós, pois sabíamos do perigo, mas éramos covardes demais para agir. Eu não quero ser julgado por não ter feito o que estava no meu poder a fazer. Assim, eu vou levantar a minha voz, tocar a trombeta e chamar todos os meus irmãos guerreiros para se encontrarem comigo no campo de batalha.

A minha esperança é que Deus mesmo volte a habitar no meio do seu povo, pois levaram meu Senhor e colocaram um pastor no seu lugar.

Se “feliz a nação que tem o Senhor como Deus”, o que será da nação que não segue ele, mas que finge intimidade???

Que Deus tenha misericórdia da nossa nação. Jeff