Copyright 2019 - Custom text here

Cumprindo a Missão Cristã: A missão difícil, mas não impossível.

Vamos imaginar que somos repórteres e fomos enviados para uma batalha muito perigosa. Chegando lá nós esperamos ver soldados, cansados e vestidos com roupas camufladas, com rostos sujos, vivendo nas condições mais difíceis, e sempre carregando sua arma. Mas, em vez disso, quando chegamos vemos na frente de batalha soldados vestidos de bermudas jogando vôlei e ping-pong, relaxando ao lado de uma piscina e bebendo Coca Cola, e sem nenhuma arma por perto. Se esse fosse um exército defendendo nosso país contra um bravo inimigo, teríamos razão para estarmos preocupados. Esquecendo a sua missão, ele seria derrotado com muita facilidade. E se o inimigo atacasse os soldados talvez tentassem ir embora, dizendo: “Eu não me alistei por isso! Eu me alistei pelo todos os benefícios, mas eu não sabia que alguém ia atirar em mim.”

A igreja hoje é muito parecida com aquele exército. Nós temos promovido a vida cristã pelos benefícios: “Venha a Cristo e ele te dará paz e felicidade. Ele te ajudará vencer os seus problemas. Ele te dará um bom casamento”. E as pessoas se alistam pensando em sentar ao lado da piscina curtindo a “boa vida” com Jesus. E de repente as balas começam ricochetear, bombas começam cair do céu e coisas explodem ao redor deles; pessoas sendo feridas e alguns morrendo. E esses alistados relaxados viram as suas costas e correm, pensando: “Eu não me alistei por isso”.

A Bíblia é clara que a vida cristã não é um parque cheio de brinquedos, mas um campo de batalha. Deus não nos salvou para podemos viver vidas egoístas e felizes, em conforto e segurança. Ele nos alistou no seu exercito. E nós temos a missão dada por nosso comandante de levar a mensagem da sua salvação e senhoria para dentro do terreno do inimigo, e de resgatar cativos das forças das trevas. E como qualquer guerra, nossa missão tem um conflito e nós temos que lutar. Se esquecermos a nossa missão e se nos perdemos na idéia do nosso próprio conforto, vamos rapidamente abandonar a causa quando o inimigo ataca.

Temos que focar e cumprir a missão cristã; a propagação das Boas Notícias. As notícias da vida eterna que vêm por meio de Jesus Cristo, que homens podem ser salvos dos seus pecados e viver em santidade. Nós fomos libertados das trevas à luz, da morte à vida, do pecado para a justiça. E nós temos que proclamar essa verdade; temos que viver essa realidade. Nós temos que viver como cidadãos do céu. Nós temos que viver segundo essas Boas Notícias.

A propagação do evangelho tem que ir além de simples palavras, mas incluir a maneira que vivemos.

2 Co 5.17; Então se alguém está em Cristo, ele é uma nova criatura. As coisas antigas já passaram; olhe, o que é novo chegou.

A Bíblia nos fala que homens são transformados em novas criaturas com uma nova vida e que nós temos que viver essa nova vida, senão, negamos as Boas Notícias com o nosso comportamento.

Quando as pessoas olham para a igreja, eles ouvem você falar de Jesus, mas eles vêem vidas que não refletem santidade, moralidade e salvação de pecado. E eles falam que as Boas Notícias não fazem nada, e isso não é uma Boa Notícia. Eles vêem pastores em imoralidade e crentes mentindo, roubando, e em geral, pecando. E eles perguntam, “Qual é a sua mensagem?” E nós respondemos, “Libertação do pecado?” E eles falam, “É mesmo…você não parece tão liberto”. 

A vida do crente deve demonstrar que as Boas Notícias estão nos levando do pecado para a justiça. Nós temos que ser leais a nossa cidadania. Como Paulo falou em Filipenses 1.27: “vocês precisam viver vidas dignas das Boas Notícias de Cristo, como cidadãos do céu”.

Nós temos que viver vidas dignas de sermos chamados de cristãos.

O filme “Resgate Soldado Ryan” é baseado numa história verdadeira de uma família durante a Segundo Guerra Mundial. Nessa família, o pai estava morto e os seus quatro filhos saíram para lutar na guerra, deixando a mãe deles sozinha. Quando o departamento da guerra descobre que três dos quatros filhos já morreram, eles enviam um Capitão John Miller para achar o último filho sobrevivente e trazer ele de volta para casa para que a sua mãe tenha um filho para dar continuação ao nome da família. O capitão Miller se junta há um grupo de “voluntários” para ajudar ele na busca pelo Soldado Ryan. Na sua procura por ele, eles se encontram no meio de muitas batalhas com os alemães. Eles literalmente lutam até chegar há esse rapaz. Quando eles finalmente encontram o soldado Ryan, ele se recusa a deixar o seu grupo até que cheguem os reforços, e antes que isso aconteça, eles são atacados por uma força superior do inimigo. Uma batalha brava acontece e no fim eles estão literalmente lutando com as próprias mãos. Capitão Miller e seu grupo são vitoriosos, mas a maioria deles foram feridos ou mortos.

Chegando perto do fim do filme há uma cena em que o Capitão Miller está sentado no chão, encostado em um jipe, morrendo por causa dos ferimentos que sofreu tentando proteger o Soldado Ryan e com o seu último respiro, ele puxa Ryan para perto e sussurra, “Merece ela! Merece ela!” Em outras palavras, “Escute...muitos bons homens deram as suas vidas para salvar a sua. Viva de uma maneira que você mereça o sacrifício deles!” 

E nesse ponto o filme pula para 40 anos no futuro. E Soldado Ryan, agora um homem velho, está andando pelo meio do cemitério memorial na França com a sua esposa e seus filhos já crescidos. Ele anda pelo cemitério, procurando até achar o lugar onde o Capitão Miller estava sepultado. E ele começa a cambalear e cai de joelhos chorando. A sua esposa vai até ele de pressa pensado que estava enfartando, e no meio das suas lagrimas de angustia ele fala para ela, “Fale para mim que eu vivi uma boa vida...fale para mim que sou um bom homem!” E ela garante que ele tem sido um bom marido e pai maravilhoso e ele parece um pouco aliviado, porque toda a sua vida ele viveu com esse peso de saber que vários homens corajosos morreram para que ele pudesse viver. Lembrando o sacrifício deles por ele fez ele viver cada momento de sua vida de forma diferente ... mais honrosa.

Alguém de fato morreu para você viver. E esse alguém não era somente um bom homem; ele era o único homem perfeito que já viveu, o próprio filho de Deus. E Paulo no lembra disso na carta para os Filipenses quando ele fala como se fosse quase seu último respiro. É como ele está nos puxando por perto para sussurrar no nosso ouvido: “Merece ela! Merece ela! Lembre quem morreu… para que você pudesse viver!”

Filipenses 1.27; Mas independente do que aconteça comigo, vocês precisam viver vidas DIGNAS das Boas Notícias de Cristo!

O interessante é que um dia nós fomos os soldados Ryans e alguém entendeu a sua missão cristã e foi atrás de nós para nos resgatar da prisão de satanás. Agora nós somos aqueles chamados a se arriscarem e ir atrás dos outros precisando de resgate. É a nossa missão. Ninguém foi chamado para curtir uma Coca-Cola ao lado de uma piscina com Jesus. Fomos chamados para o seu exército e temos ordens a cumprir.

"Tu és digno de receber o livro e de abrir os seus selos, pois foste morto, e com teu sangue compraste para Deus gente de toda tribo, língua, povo e nação.

Somos um exercito e temos uma Missão Cristã a ser cumprida: Uma missão difícil, mas não impossível.

Marchem!

Jeff